Uma tentativa de explicar o que é um auditor

Um “chefe” para as contas da empresa
Gazeta do Povo – 13/1/2008

Profissão de auditor global exige conhecimento em direito

Um dos papéis de um auditor global é verificar se o relatório de contas da empresa está perfeito e pode ser publicado, para conhecimento dos investidores. “Ele faz um mapeamento dos processos internos de custo e conseqüentemente do risco da empresa. E responde civilmente pelas informações”, resume o sócio-diretor do escritório de Curitiba da empresa de auditoria BDO Trevisan, Marcello Palamartchuk.

O diretor diz ainda que é exigido do auditor global conhecimento sobre direito societário e tributário. Na BDO Trevisan, o pessoal aprende na prática, mas com metodologia, diz o auditor. “Conseguimos capacitar muitas pessoas com turmas de estudo.” O profissional acrescenta que existe uma tendência de padronização nas normas contábeis em todo o mundo, o que deve facilitar o trabalho no âmbito mundial e criar mais campo para o auditor global.

O sócio da área de auditoria da Deloitte, José Ricardo Faria Gomez, lembra que a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), reguladora do mercado de capital aberto no Brasil, pretende adotar em 2010 as normas do Padrão Internacional de Relatórios Financeiros (IFRS, na sigla em inglês). Para ele, o setor é promissor. “Eu diria que é um mercado em explosão, não em expansão. O pessoal aprende na prática e com treinamentos. Não exigimos experiência, até preferimos sem”, explica. De 2006 para 2007, o Brasil se tornou o segundo país estrangeiro em número de empresas listadas na Bolsa de Nova Iorque (NYSE), com 33, atrás apenas do Canadá, que tem 80.

Gomez diz que o auditor entra na empresa e passa por seis semanas de treinamento, para depois atuar como estagiário por um ano. Após esse período, recebe ao menos duas semanas de cursos por ano, para manter-se atualizado neste dinâmico setor. “O perfil exigido é de adaptação a diferentes culturas – para saber lidar com um empresário mexicano, inglês ou alemão, por exemplo – e de evitar conflitos nas negociações. Discutir de forma profissional”, detalha. O inglês é obrigatório e o espanhol, desejável, mas é preciso muito conhecimento técnico, tanto no ambiente contábil quanto no tributário, explica o auditor.

O sócio da PricewaterhouseCoopers em Curitiba, Mario Tannhauser, diz que um auditor global começa ganhando R$ 1 mil, como trainee, mas que o salário cresce bastante à medida que o profissional sobe na carreira. Para chegar a sócio são uns 15 anos de trabalho. “Para assinar o balanço é preciso ter registro no CRC [Conselho Regional de Contabilidade], mas nós aceitamos profissionais de diferentes áreas, como economia, administração”, diz. Conforme Tannhauser, o auditor precisa gostar de números e contas, que é o que mais vai fazer, mas a atividade não se resume somente a olhar para a contabilidade de uma empresa. “O auditor passou a atender o cliente e oferecer outros serviços. A carreira é muito dinâmica, é preciso estar antenado no mercado local e no global.”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: