Archive for the ‘Guerra’ Category

O vínculo entre economia e guerra

janeiro 9, 2008

Desde o fim da segunda guerra mundial, o mundo já conviveu com mais de uma centena de guerra civis. O resultado destes conflitos foi mais de 16 milhões de vidas. Uma possível explicação para a existência deste tipo de conflito é a economia. Os países menos desenvolvidos geralmente dependem de poucos produtos para obter divisas. Quando o preço destes produtos reduz no mercado mundial, a chance de um conflito é maior. Markus Brückner e Antonio Ciccone (aqui) analisaram esta questão e encontraram alguns vínculos. No período entre 1997 e 2000 o preço internacional do café caiu em 50%. Três países da África que dependem da exportação do produto, Burundi, Ruanda e Uganda, iniciaram uma guerra logo após (em 2000, 2001 e 2002, nesta ordem).

Anúncios

Custos da Guerra

novembro 14, 2007

Uma reportagem sobre o custo da Guerra no Iraque e Afeganistão. O problema do cálculo é que a estimativa realizada, em alguns pontos, é muito difícil e frágil de ser sustentada. É o caso do custo indireto sobre o preço do petróleo: é muito difícil estimar uma situação, isolando outras variáveis. Quem trabalha com métodos quantitativos sabe a fragilidade deste tipo de argumento quando se tem um grande conjunto de dados que possui similaridade no tempo. E quando isto não ocorre (como é o caso) o valor final transforma em especulação.

Gasto dos EUA com guerra seria maior
Valor Econômico – 14/11/2007

Os custos das operações militares no Iraque e no Afeganistão seriam o dobro do que o presidente dos EUA, George W. Bush solicitou ao Congresso por causa dos “custos embutidos”, segundo um estudo apresentado por congressistas democratas. O estudo, apresentado na Comissão Econômica Conjunta do Congresso, diz que, no total, os custos da guerra chegam a US$ 1,5 trilhão. Esses “custos embutidos” seriam pagamento de juros de empréstimos para o custeio das guerras, investimentos perdidos, gastos de longo prazo com atendimento médico a feridos e os custos da tensão causada nos mercados de petróleo.O US$ 1,5 trilhão, para o período de 2002 a 2008, significa um custo de US$ 20,9 mil para uma família americana de quatro pessoas, diz o estudo. O governo Bush já requereu US$ 804 bilhões para as guerras do Iraque e Afeganistão. Apenas para o Iraque, o custo total estimado é de US$ 1,3 trilhão para o período de 2002 a 2008 — ou US$ 16,5 mil para uma família de quatro.

Os custos futuros são ainda maiores. A relatório estima que as duas guerras custarão US$ 3,5 trilhões de 2003 a 2017, ou US$ 46,4 mil para cada família.O preço do barril de petróleo sofreu forte aumento desde o início da guerra no Iraque, de cerca de US$ 37 para bem acima dos US$ 90 nas últimas semanas. “Consistentes pressões resultantes da guerra têm afetado o preço do petróleo”, apesar de o conflito no Iraque não ser o único responsável pela escalada, segundo o relatório. Ainda assim, o estudo estima que o aumento do preço do petróleo transferiu “aproximadamente US$ 124 bilhões dos consumidores americanos para produtores estrangeiros” de 2003 a 2008. O alto preço do petróleo tende a desacelerar o crescimento econômico e aumentar a inflação.Também “o total de juros pagos por dívidas relacionadas ao Iraque de 2003 a 2017 totalizará mais de US$ 550 bilhões”, afirma o estudo. O governo americano tem de pagar juros sobre o dinheiro que pega emprestado para financiar a dívida pública interna, que atingiu recentemente US$ 9 trilhões.O relatório é divulgado no momento em que a Câmara dos Representantes se prepara para votar esta semana um projeto do oposicionista Partido Democrata que estabeleceria um cronograma para a retirada das tropas americanas do Iraque como condição para a concessão de outros US$ 50 bilhões para essa guerra.

Links

novembro 13, 2007

1. Há petróleo

2. Não diga “função utilidade” e sim “função valor”

3. Estimativa do custo da guerra (EUA)

4. A face estranha da globalização. O que são fundos soberados

5. O poder do relacionamento pessoal = Uma história interessante que mostra o relacionamento pessoal em fundos de investimento

6. Um jogo interessante em Finanças Comportamentais

Justiça e Irã

setembro 10, 2007

A justiça norte-americana condenou o governo do Irã a indenizar em 2,65 bilhões de dólares as famílias dos soldados mortos no atentado em 1983, em Beirute [clique aqui]. Na época o governo do Irã apoiava o Hezbollah. Dois aspectos interessantes na notícia: 1) como será feita a cobrança?; 2) a justiça norte-americana foi lenta na condenação (mais de 23 anos).

EUA perderam 190 mil armas no Iraque

agosto 7, 2007

Da Folha de S. Paulo de 07/08/2007:

EUA perderam 190 mil armas no Iraque

Pentágono não tem registro do paradeiro de 30% do armamento que deveria municiar forças iraquianas desde 2004

Fuzis e pistolas podem estar nas mãos da insurgência devido à falta de pessoal para fazer a contabilidade e à urgência em distribuí-los

DA REDAÇÃO

As Forças Armadas dos EUA não sabem onde estão cerca de 190 mil fuzis e pistolas destinados a municiar as forças de segurança do Iraque, o que indica que as armas podem ter caído nas mãos de insurgentes.

A constatação é de um relatório da Agência de Contabilidade do Governo americano (GAO, na sigla em inglês) dando conta dessa falha de registro sobre o material bélico que os EUA levaram ao Iraque nos anos de 2004 e 2005. A GAO, órgão ligado ao Congresso dos EUA, descobriu o problema ao cruzar dados do Comando de Transição da Segurança no Iraque com os mantidos pelo general David Petraeus, que assumiu em fevereiro o comando das tropas dos EUA no país.

“Eles de fato não têm idéia de onde está [o armamento]”, disse ao “Washington Post” Rachel Stohl, pesquisadora do Centro para Informações de Defesa que viu o relatório.

Uma das causas apontadas para o lapso nos registros de 110 mil fuzis AK-47 e 80 mil pistolas, além de 115 mil capacetes e outras 135 mil peças de blindagem corporal -ou 30% do armamento que os EUA distribuíram às forças iraquianas desde 2004-, é a falta de gente para fazer a contabilidade das remessas para o Iraque, além da urgência de distribuição.

“Nós tínhamos muito pouca gente e poderíamos segurar as armas até todo o aparato do sistema de contabilidade ficar pronto ou as poderíamos distribuir”, disse ao “Post” um oficial militar que pediu anonimato. O Pentágono não contestou as informações da GAO e declarou que investigará o caso.

Os EUA já gastaram cerca de US$ 19,2 bilhões na formação e municiamento das forças de segurança iraquianas desde 2003, informa a GAO. Desse total, ao menos US$ 2,8 bilhões foram gastos em equipamento.

Perdas e danos

O governo do premiê Nuri al Maliki teve ontem nova baixa no gabinete, o que o deixou sem representantes árabes sunitas.

Cinco ministros pertencentes ao bloco liderado pelo ex-premiê interino Iyad Allawi (2003-2004) declararam que não frequentarão mais as reuniões de gabinete. Com a deserção do bloco, que reúne sunitas e xiitas, Maliki, que é xiita, fica com apenas 20 dos 37 ministros que compunham um suposto governo de unidade.

Unidade essa cada vez mais difícil de ser obtida entre os principais grupos étnico-religiosos do Iraque: árabes xiitas (majoritários), árabes sunitas e curdos. Sem acordo entre eles não sairá a legislação regulamentando a distribuição da renda proveniente do petróleo.

Um dos motivos do boicote teria sido o suposto favorecimento, por Maliki, dos xiitas em detrimento dos sunitas.

Ataque

A explosão de um camihão-bomba na manhã de ontem em Tal Afar, 420 km ao noroeste de Bagdá, matou 28 pessoas. Segundo o general iraquiano Najim Abdullah, 19 eram crianças.

O ataque ocorreu em uma área xiita bastante movimentada da cidade, que, apesar do histórico violento, já foi citada pelo presidente americano, George W. Bush, como “exemplo de sucesso” na contenção da insurgência. Casas próximas ao local desabaram com o impacto, e o saldo de mortos pode subir. Há cerca de 40 feridos.

Com agências internacionais

Custo no Iraque

julho 18, 2007

Um artigo de Nicholas Kristof (‘Inspiring Progress’ On Iraq?), publicado no The New York Times (12/07/2007) e no Estado de S Paulo (13/07/2007, p A13, Ocupação custa US$250 mil por minuto) apresenta alguns fatos interessantes sobre custo da guerra:

=> O custo médio de um soldado no Iraque aumentou para 390 mil dólares por ano, conforme um estudo do Congressional Research Service.

=> O custo total será, em 2007, de $135 bilhões, o que significa um pouco mais de 250 mil dólares por minuto.

=> O gasto total da guerra seria suficiente para financiar a saúde dos norte-americanos que não possuem segupo por 30 anos.

Provavelmente nestes dados não constam o custo que será incorrido no futuro, como as pensões para os soldados mortos.

Links

junho 5, 2007

1. Aposta que Harry Porter irá morrer => 21 de julho sairá o último livro da saga de Porter. A previsão é que Porter morrerá, sendo 2×1 a aposta em Valdemort e 5×2 no professor Snape

2. A casa do homem mais rico da Índia

3. Custo da guerra do Iraque

Custo da Guerra

maio 9, 2007

É interessante notar como os contadores possuem um conceito diferente de custo dos economistas. Na discussão sobre a guerra do Iraque e do seu custo, Lori Montgomery, do Washington Post, afirma que o custo desta guerra é diferente da guerra da Coréia ou do Vietnam. A razão é que o valor do gasto é relativamente reduzido em relação ao tamanho atual da economia norte-americana (cerca de 4% do PIB é o gasto da defesa dos EUA hoje).

Mas a principal diferença é que Bush está financiando o conflito sem aumento de impostos ou corte nos programas domésticos, segundo Montgomery. Na visão contábil isto não seria relevante para apuração dos custos, pois na contabilidade a forma de financiamento e a remuneração deste financiamento (despesas financeiras) não são consideradas.

Senhor das guerras

março 8, 2007

O Departamento de Defesa dos Estados Unidos (via Blogging) mostrou as empresas que ganharam com a guerra ao terrorismo em 2006:

1. Lockheed Martin (NYSE:LMT), $26.6 billion, ($19.4b em 2005)
2. Boeing (NYSE:BA) = $20.3b,
3. Northrop Grumman (NYSE:NOC) = $16.6b,
4. General Dynamics (NYSE:GD) = $10.5b
5. Raytheon (NYSE:RTN) = $10.1b
6. Halliburton (NYSE:HAL) = $6.1b
7. L-3 Communications Holdings (NYSE:LLL) = $5.2b
8. BAE Systems (BAESY) = $4.7b
9. United Technologies (NYSE:UTX) $4.5b
10. Science Applications Int’l (NYSE:SAI) $3.2b

Termina a guerra Holanda e Inglaterra

fevereiro 25, 2007

Notícia do NY Times informa que terminou a guerra da Holanda com a Inglaterra pela posse da Ilhas Scilly. As Ilhas Scilly estão localizadas perto da Cornualha, próximo a Inglaterra. Possuem cerca de 2 mil habitantes numa área de 16 km2.

A guerra terminou com a proclamação do embaixador da Holanda após 335 anos do seu início.