Archive for the ‘Ibama’ Category

Vale é verde

março 19, 2007

A mesma Piauí traz um texto sobre a questão ambiental na Vale do Rio Doce. Muito interessante e reproduzo alguns trechos a seguir:

“a empresa anunciou que gastará até o fim do ano mais de 400 milhões de reais na preservação do meio ambiente.(…) O investimento reforça sua imagem de companhia ´verde´, estratégia importante para ganhar pontos num mercado internacional cada vez mais sensível às questões ambientais.

Paradoxalmente, a Vale é também a mineradora campeã em multas do Ibama, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente. Desde a privatização, levou 56 autos de infração, no valor de 37 milhões de reais. A mineradora não reconhece a maioria deles. Defende-se com recursos ao órgao e a outras instâncias do Ministério do Meio Ambiente. No ano passado, as multas chegaram a 2,9 milhões de reais. Apenas 217 mil foram pagos. (…)

O diretor de licenciamento ambiental [do Ibama], Luiz Felipe Kunz Jr., confirma que a empresa desrespeita com freqüência a legislação, mas frisa que esse comportamento não destoa do de outras grandes mineradoras. (…)

[Engenheiro Pereira da Silva, do Ibama em Marabá] acha que “a Vale do Rio Doce, arrogante como ela só, ignora o Ibama” da região. A maior prova, segundo ele, é a reação da Companhia à multa da mina do Sossego, em Canaã dos Carajás.

Trata-se de uma multa, até hoje não paga, de 2 milhões de reais, aplicada em maio de 2004 por causa de danos na Floresta Nacional de Carajás (…) Maurício Reis, diretor da Vale, admite que “aconteceu realmente um acidente na operação inicial e a Vale imediatamente acatou a multa”. Acatou, mas não pagou. Nem os 2 milhões, nem o que foi acertado, na Justiça Federal, para a conversão dessa dívida: a construção de dois centros de triagem de animais silvestres que seriam operados pelo Ibama. Reis atribui o não pagamento “a burocracia do Ibama”.

O Instituo discorda. De acordo com o direto Luiz Felippe Kunz Jr., para quitar o que deve, a Vale teria simplismente de assinar um termo de conversão da multa. “Mas com isso eles se tornariam reús confessos em relação ao dano causado, o que não é bom para a imagem de uma empresa preocupada com o meio ambiente.”

(…) As protelações continuadas se explicam pela lentidão geológica da Justiça.”

Anúncios