Archive for the ‘IgNobel’ Category

10 Pesquisas Bizarras

novembro 9, 2007

Aqui uma relação de dez pesquisas bizarras. Fiquei perguntando se era verdade mesmo. Gostei muito do “Efeito da Música Country no Suicídio” e achei que poderia ser replicada para o Brasil, substituindo por música sertaneja e avaliando o impacto sobre a taxa de suicídio. Outra pesquisa interessante é a preferência das galinhas por humanos bonitos. Mas mereceria uma premiação no Ignóbil a pesquisa que concluiu ue a velocidade ultrasônica num queijo Cheddar é afetada pela temperatura.

Anúncios

Ignobel

outubro 5, 2007

Veja a lista dos vencedores do Prêmio IgNobel de 2007:

Química – Mayu Yamamoto (Japão) – desenvolveu método para extrair fragrância de baunilha a partir do esterco bovino.

Lingüística – Juan Manuel Toro, Josep B. Trobalon e Nuria Sebastian (Espanha) – demonstraram que ratos podem se confundir quando uma pessoa, que eles não vêem, está falando japonês ou holandês.

Paz – Laboratório Wright (EUA) – levantaram a hipótese de desenvolver uma bomba que faria os inimigos se tornarem sexualmente irresistíveis entre si.

Biologia – Johanna van Bronswijk (Holanda) – por investigarem todas os organismos, insetos, aracnídeos e crustáceos que podem habitar nossas camas.

Economia – Kuo Cheng Hsieh (Taiwan) – por patentear um equipamento que captura ladrões de banco ao jogar uma rede em cima deles.

Fonte: Redação Terra

Regra dos cinco segundos

maio 16, 2007

Existe uma regra dos cinco segundos, muito difundida entre a população. Por esta regra, quando uma comida caiu no chão, pode-se comer sem susto se ficou no chão somente cinco segundos.

Uma pesquisa feita por Jillian Clarke, que ganhou o Ig Nobel por este motivo, 50% dos homens e 70% das mulheres conhecem a regra dos cinco segundos e muitos a seguem.

Os pesquisadores da Clemson University encontraram que esta regra não é verdadeira. Um pedaço de pão que ficou cinco segundos no chão estará contaminado com bactérias (de 150 a 8 mil, neste tempo).

Vampiros, fantasmas e outros

novembro 7, 2006

O professor Costas Efthimiou, da Central Florida University, juntamente com Sohang Gandhi, publicaram um texto denominado “Ghots, Vampires and Zombies”. O artigo, que poderia participar perfeitamente do próximo Ignobel, prova que vampiros, zumbis e fanstasmas não podem existir.

Considere o caso dos vampiros. Se cada vampiro mordesse um ser humano por mês, e este ser humano se transformasse em vampiro, basta aplicar um simples cálculo matemático para mostrar esta impossibilidade de existência do vampiro. Neste caso, o crescimento da população de vampiros seria exponencial. Considerando que o mito do vampiro nasceu no século XV, e considerando também o crescimento exponencial da população, em 30 meses toda população humana seria de vampiros.

Clique aqui para ler o texto da pesquisa (PDF e inglês)

Ignobil

outubro 23, 2006

O Prêmio IgNobel é uma brincadeira com a ciência. Organizado pelo Annals of Improbable Research (AIR), os vencedores são apresentados inclusive por ganhadores do Nobel na Harvard University. O prêmio começou em 1991 para premiar pesquisas que não podiam ser reproduzidas, mas hoje inclui também pesquisas engraçadas ou com aspectos inesperados. O nome é uma junção da palavra “ignoble” e “nobel”, do prêmio Nobel. Não existe, a rigor, categorias no prêmio e as áreas destacas podem ser medicina, química, psicologia, literatura, paz, economia, engenharia etc. A lista dos vencedores pode ser obtida na Wikipedia.