Archive for the ‘legibilidade’ Category

Rir é o melhor remédio

janeiro 17, 2008

Neste link você tem a possibilidade de criar jargão na área educacional em inglês. É muito divertido. Basta escolher uma palavra de cada três colunas e se tem o jargão do termo. Experimente.

Anúncios

Palavreado difícil

janeiro 13, 2008

Um problema com o banco BCP e sua auditoria externa, a KPMG, produziu um texto interessante da Agência Lusa (BCP: KPMG garante que informou sempre autoridades dos resultados das auditorias, 12/01/2008). Este banco está sendo investigado em Portugal por suspeitas de ter financiado sociedades de paraísos fiscais para comprarem ações do próprio BCP durante o aumento de capital em 1999. As críticas sobre a KPMG provocou uma reação da empresa de auditoria, que escreveu um comunicado

A KPMG acrescenta que se encontra “submetida a estritos deveres legais e deontológicos que a impedem de comentar ou revelar quaisquer factos de que tenha tomado conhecimento no exercício da sua actividade”, mas garante que, “no momento oportuno e quando se encontrarem reunidas as condições legalmente requeridas para esse efeito, a KPMG não deixará de defender o seu bom-nome por todas as vias que considere adequadas”.

Você é um Gênio

dezembro 12, 2007

Se você está conseguindo ler este blog você é um gênio. Aqui um teste de legibilidade de um blog. Eu coloquei este blog e o resultado foi que a pessoa que consegue ler este blog é um gênio. Óbvio, o teste é válido somente para língua inglesa. Mas eu testei o sítio da minha universidade em inglês e a resposta foi a mesma.

Links

novembro 21, 2007

1. O que significa I Love You para um economista

2. Legibilidade nos livros. Os livros de sucesso são mais fáceis de serem lidos.

3. Um estudo sobre os benefícios econômicos da possibilidade de liberação do casamento gay em Nova Iorque

Complexidade do texto

novembro 1, 2007


Tenho feito algumas pesquisas sobre complexidade de textos, em especial de relatórios de administração (junto com a prof. Fernanda Rodrigues) e dos fatos relevantes (com o agora mestrando José Lúcio Tozetti).

A figura acima (fonte, aqui)mostra uma amostra reduzida de textos de alguns escritores. De forma resumida informa que quanto mais simples for a frase maior a venda de livros. Como é difícil ser simples!

Legibilidade e escândalo contábil

agosto 17, 2007

O índice de legibilidade Flesch mede a clareza e facilidade de leitura de um texto. Quanto maior, mais claro será o texto. Uma pesquisa nas cartas aos acionistas de empresas “admiradas” apresentou o seguinte resultado:

Lou Gerstner – IBM – 2001 = 45
Jack Welch – GE – 2000 = 44
Larry Page/Sergey Brin – Google – 2004 = 44
Meg Whitman – eBay – 2003 = 44
Warren Buffet – Berkshire Hathaway – 2003 = 43
Jeff Bezos – Amazon – 2003 = 40

Agora o índice para empresas associadas a escândalos

Dennis Kozlowsky – Tyco – 2001 = 29
San Wksal – ImClone – 2001 = 22
Richard Scrushy – HealthSouth – 2001 = 20
Ken Lay/Jeffrey Skilling – Enron – 2000 = 18
John Rigas – Adelphia – 2000 = 18
Gary Winnick – Global Crossing – 2001 = 17
Richard Grasso – NYSE – 2002 = 17

Fonte: Fuger, Hardaway, Warshawsky. Por que as Pessoas de Negócios Falam como Idiotas. Best Seller, 2007, p. 53

A notícia como aliada

julho 25, 2007

A notícia como aliada (Valor Econômico, 25/07/2007) comenta um estudo de Alexander Dyck, professor de finanças da Universidade de Toronto, sobre fundos Hedge.


O estudo de Dyck focou no período de 1999 a 2002 e, para analisar o impacto das matérias publicadas pela mídia sobre a governança corporativa russa, os pesquisadores examinaram o boletim semanal de governança de um dos principais bancos de investimentos russo entre dezembro de 1998 e junho de 2002. Em seguida, eles tabularam o número de artigos sobre problemas de governança. Os pesquisadores reuniram também histórias em que o Hermitage aparece como investidor.Dyck e sua equipe elaboraram um modelo que atribuía um preço determinado a toda notícia de cunho negativo. De acordo com o estudo, um artigo a mais na imprensa anglo-americana corresponde a um aumento de cinco pontos percentuais na probabilidade de reverter uma falha de governança corporativa. A violação média da governança tinha o potencial de diluir o valor das ações em 57% – isto significa que, em média, o valor de um artigo adicional publicado no “Wall Street Journal” ou no “The Financial Times” corresponde a US$ 40,4 milhões. Quando restringe seu campo a empresas com valor de mercado na média de US$ 2,8 bilhões, o impacto de artigos da imprensa estrangeira (dos EUA e Inglaterra, basicamente) pode chegar a US$ 72 milhões.No estudo, batizado de “O papel da governança corporativa da mídia: dados da Rússia”, de autoria de Dyck em parceria com Natalya Volchkova, da Nova Escola de Economia de Moscou, e Luigi Zingales, da Universidade de Chicago, os autores assinalam que a mídia tem um papel importante na absorção do custo da coleta de informações que podem beneficiar os acionistas. Em 2000, Bill Browder preparou um dossiê em que mostrava como os administradores russos da petroleira Gazprom vinham transferindo os ativos da empresa para entidades controladas por amigos e parentes. Browder entregou suas descobertas a jornalistas do “Wall Street Journal”, “Financial Times” e “BusinessWeek”. Os jornalistas passaram, então, a publicar uma série de histórias em torno dos problemas observados na Gazprom, culminando com a demissão do principal executivo da empresa e com o início das reformas da companhia. Paralelamente, os investimentos da Browder na Gazprom cresceram dez vezes, passando de US$ 150 milhões para US$ 1,5 bilhão.O impacto da repercussão na imprensa é relevante porque também pode levar órgãos reguladores a tomar medidas contra administradores. Não só os indivíduos se importam com sua reputação, como autoridades reguladoras se preocupam com o impacto do evento sobre sua própria reputação.Como exemplo, Dyck cita o caso de Richard Grasso, ex-presidente da Bolsa de Valores de Nova York. Grasso foi destituído da posição que ocupava em 2003 depois que passaram a circular rumores de que teria recebido uma remuneração exorbitante. Todos os membros do conselho de administração da bolsa aprovaram inicialmente o pacote concedido a Grasso. Só depois que vieram a público detalhes sobre o seu salário e os benefícios que recebia é que os membros do conselho mudaram de opinião.

Pesquisa: Legibilidade

julho 20, 2007

Conforme o sítio Metalink a forma mais legível de postar texto na internet é com letras de cor verde sob fundo amarelo. A letra Times New Roman é melhor que Arial. Preto em cinza é melhor que preto em branco.