Archive for the ‘siemens’ Category

Os maiores empregadores

fevereiro 6, 2008

Amostra de empresas com ações negociadas em bolsa

1. McDonalds = 465 mil empregados
2. Petrochina = 463 mil
3. Siemens = 400 mil
4. Target = 350 mil
5. Sears = 350 mil
6. Hitachi = 350 mil
7. China Petro & Chemical
8. Arcelor
9. Kroger
10. Matsushita

Fonte Aqui

Anúncios

Siemens e Brasil

dezembro 28, 2007

Já postamos vários textos sobre os problemas contábeis da empresa Siemens (clique aqui). Agora, pela primeira vez, aparece o nome do Brasil nas denúncias.

Segundo o Wall Street Journal (Politics & Economics: Inside Bribery Probe of Siemens — Liechtenstein Bank Triggered an International Hunt; David Crawford e Mike Esterl) a criação de um esquema de corrupção na empresa, que funcionou por décadas, envolvia muitos países, do Brasil ao Egito:

Mr. Siekaczek, the former Siemens manager in Germany who controlled accounts that had funneled money to Mr. Mavridis, was arrested Nov. 15, 2006. Mr. Siekaczek told prosecutors that he knew of bribery schemes earlier this decade in more than a dozen countries stretching from Brazil to Egypt. He said the Greek unit enjoyed wide latitude in nearby countries such as Cyprus, Bulgaria and parts of the former Yugoslavia. Mr. Mavridis handled bribe payments in some of those countries, according to Mr. Siekaczek.

Links

dezembro 3, 2007

1. A história da Dow Jones

2. Citibank e JP Morgan juntos?

3. Marketing contra as notícias de corrupção – Siemens

4. A cerveja dos monges

Siemens investigada em Liechtenstein

agosto 21, 2007

Segundo a Panorama Brasil (Filial da Siemens está sendo investigada em Liechtenstein por lavagem de dinheiro, Rodrigo Lima, 20/08/2007) a Siemens está sendo investigada por transferir dinheiro, entre 1997 e 1999 para pagamentos de subornos na China, Índia e Indonésia. Além disto, a empresa responsável pela auditoria interna da Siemens relativo aos subornos concluiu que metade dos negócios na China são afetados pela corrupção.

Siemens

agosto 16, 2007

No final de 2006 este blog deu a notícia do escândalo contábil na empresa Siemens (aqui). Desde então, as investigações estão andamento.

Uma reportagem do Wall Street Journal mostra as razões da demora nas investigações:

(…) Pessoas que têm acompanhado as investigações dizem que os diretores das várias unidades de negócios da Siemens, assim como diretores regionais nos 190 países nos quais a empresa trabalha, tiveram muita autonomia nos últimos anos. Isso incluiu o poder de elaborar vagos contratos de consultoria com terceiros que investigadores criminais suspeitam terem sido usados para transferir propinas a clientes potenciais. A reconstituição dos fatos está exigindo uma investigação intensa não apenas na matriz de Munique, como também em seus escritórios em outros países.

O escritório de advocacia Debevoise & Plimpton LLP foi contratado pelo conglomerado em dezembro para investigar a fundo as alegações de irregularidades. Mas recentemente a firma informou o conselho supervisor da Siemens, que não é integrado por membros da diretoria, que diretores de algumas unidades estrangeiras não têm cooperado, disseram membros do conselho ao Wall Street Journal.

(…) A empresa recusa-se a entrar em detalhes de muitos aspectos da investigação. Mas em seu mais recente informe à Securities and Exchange Commission, a comissão de valores mobiliários americana, na sexta-feira, a Siemens reconheceu que “incertezas substanciais permanecem” e que “ainda não tem informação suficiente” para estimar o dano financeiro potencial causado pelos supostos delitos.

Ela também informou que o problema pode ser muito maior que o indicado em dezembro, quando identificou 420 milhões de euros em transações suspeitas em sua unidade de equipamentos de telecomunicações nos últimos sete anos.

Investigação na Siemens se arrasta e cria desafios para novo presidente
Mike Esterl e David Crawford
The Wall Street Journal – 16/08/2007

Links

maio 20, 2007

1. Escandâlo da Siemens – Corrupção numa das maiores empresas da Alemanha – Reportagem do El País

2. Vontade de jogar futebol – Foto

3. Linha do Tempo de Finanças Comportamentais mostra o ápice em 1999

4. Taxa de juros na China é múltiplo de nove

Siemens, o escândalo contábil

fevereiro 1, 2007

Nova notícia do Wall Street Journal (Depoimento de executivo complica Siemens em caso de corrupção, 31/01/2007, clique aqui para link, em português)

Os promotores suspeitam que executivos da Siemens tenham desviado recursos por meio de contratos fraudulentos de consultoria para contas usadas para pagar propinas a potenciais clientes durante vários anos. Desde que buscas policiais tornaram público o inquérito, a Siemens diz que descobriu 420 milhões de euros (US$ 545 milhões) em transações suspeitas que abrangem sete anos, e solicitou uma auditoria externa. Os investigadores estão agora tentando determinar até que ponto na hierarquia da empresa a corrupção chegou. (…)

Mandados de prisão e depoimentos detalhados de executivos da empresa, na condição de testemunhas, entre eles o de Kutschenreuter, sugerem uma história diferente. Esses depoimentos, a que o Wall Street Journal teve acesso, retratam uma empresa em que o pagamento de propinas era comum e altamente organizado. Os depoimentos mostram que executivos de alto escalão da Siemens fizeram grandes esforços para escapar de serem pegos, enquanto promotores de países vizinhos fechavam cada vez mais o cerco. (…)

O caso também ressalta o que críticos dizem ser a incapacidade da indústria alemã de melhorar a governança corporativa. Até a Alemanha endurecer suas leis contra corrupção em 1999, as empresas podiam na verdade descontar despesas com propinas pagas no exterior. A DaimlerChrysler AG está sendo investigada pela SEC e pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos, pelo que a montadora reconhece terem sido “pagamentos impróprios” na África, na Ásia e no Leste Europeu.

Grifos meus.

Siemens

dezembro 19, 2006


Escândalo de corrupção põe em risco a reestruturação da Siemens
December 19, 2006 4:05 a.m.

Por Mike Esterl

The Wall Street Journal

(…)
A maior empresa de engenharia da Europa informou na semana passada que encontrou cerca de meio bilhão de dólares em transações suspeitas nos últimos sete anos — o dobro do montante que as autoridades alemãs descobriram em novembro depois que mais de 200 policiais fizeram buscas em escritórios e residências de funcionários. Promotores da Alemanha, Itália e Suíça suspeitam que funcionários da empresa estavam operando uma sofisticada rede de contas bancárias secretas e contratos de falsas consultorias para pagar propinas a potenciais clientes.

(…)

Kleinfeld disse a investidores numa teleconferência semana passada que a Siemens havia reforçado seus procedimentos de fiscalização nos últimos anos. Mesmo assim, ele admitiu que as transações suspeitas que foram descobertas até agora são “um tanto desconcertantes” e que a empresa precisa fazer mais. “Quero deixar uma coisa muito clara aqui: a diretoria tem uma política de tolerância zero”, disse.